SciCom2016_save_the_dateSciComPt 2016

Pavilhão do Conhecimento, Lisboa

26 e 27 maio 2016

A ciência não é só dos cientistas

É indiscutível que a ciência está na base do desenvolvimento tecnológico, económico e social das sociedades modernas. Mas é igualmente evidente que as mais importantes questões políticas e sociais estão enraizadas na ciência.Assim é que a ciência, feita por cientistas, tem impacto fora dos espaços científicos. Mas a atividade científica é influenciada e modelada por aqueles que a executam, consomem e criticam. Ou seja, a ciência é dos cientistas, mas é também de todos os cidadãos. No 4º congresso SciComPT iremos conhecer e debater a contribuição da comunicação de ciência em Portugal para o processo de apropriação da ciência pelos cidadãos.

  • 29 de Fevereiro  6 de Março : Submissão de propostas
  • A partir de 1 de Abril : Comunicação dos resultados da submissão de propostas
  • 26-27 de Maio : Congresso SciComPt 2016

Comissão Científica

Ana Delicado (Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa)
Ana Sanchez (Instituto de Tecnologia Química e Biológica, Universidade Nova de Lisboa ITQB- Nova)
Anabela Carvalho (Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho)
Andreia Azevedo Soares (Jornalista)
António Gomes da Costa (free-lance)
António Granado (Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa FCSH-Nova)
Carlota Simões (Museu da Ciência da Universidade de Coimbra)
Carlos Catalão (Ciência Viva)
Cristina P. Conceição (Centro de Investigação e Estudos de  Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa)
Joana Barros (Associação Viver a Ciência)
Júlio Borlido Santos (Instituto de Biologia Molecular e Celular, Universidade do Porto)
Luís Azevedo Rodrigues (Centro Ciência Viva de Lagos)
Maria João Leão (Maratona da Saúde)
Maria Manuela Lopes (Artista Plástica)
Mariana Barbosa (Science office)
Marta Entradas (ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa)
Pedro Russo (Leiden University)
Rita Borges (Centro Ciência Viva de Tavira)
Tiago Santos Pereira (Fundação para a Ciência e Tecnologia)



Comissão Organizadora

Ana Godinho (Fundação para a Ciência e Tecnologia)
Alexandra Araújo
Joana Lobo Antunes  (Instituto de Tecnologia Química e Biológica e Centro de Informação Media e Jornalismo, UNL)
José Vítor Malheiros (Consultor)
Marta Santos
Sandra Soares (Centro Ciência Viva de Sintra)
Sílvia Castro ( Programa MIT Portugal)
Sílvio Mendes (Associação Viver a Ciência)

26 DE MAIO

8h30
Registo dos participantes

9h-10h | Auditório
Sessão de abertura
Rosalia Vargas (Presidente da  da Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica – Ciência Viva)
António Gomes da Costa (Presidente da Associação Rede SciCom.Pt)
Maria Fernanda Rollo (Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior)

10h-11h30 | Auditório
Debate: «A diversidade dos comunicadores de ciência em Portugal»
Painel: José Vítor Malheiros (consultor), António Granado (FCSH – Universidade Nova de Lisboa), Marta Entradas (DINAMIA-ISCTE-IUL & LSE)
Moderação: Ana Godinho (Fundação para a Ciência e Tecnologia)

11h30-12h
Coffee Break

12h-13h
SESSÃO DE PÓSTERES 1
(ler abstracts)

Sala dos Relógios
// ARTE E CIÊNCIA
Moderação: Joana Barros (Associação Viver a Ciência)
«Ideias Leguminosas»
Hugo Dias (Escola Sementes de Liberdade)
«Chemistry, Art and Child Play»
Clementina Teixeira (Centro de Química Estrutural,Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa)
«Alterações climáticas em banda desenhada: entre a realidade e a fantasia»
Bruno Pinto (Ce3c-Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais)
«Falar de Saúde Mental usando a Arte»
Sara Mira (Centro Ciência Viva de Lagos)
«Absorption – Escultura Audiovisual Interactiva» (ver vídeo)
Rudolfo Quintas (Universidade Aberta, Universidade do Algarve e Harvard Medical School (USA))
«Ciência na Ficção – Discutir Ciência através da Literatura»
Marta Santos (Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (ce3c), Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa)
«CineMina: A Ciência Elevada à 7ª Arte»
Miguel Ferreira (Associação Centro Ciência Viva do Lousal)
«ARTE, ARQUEOLOGIA E MUSEUS: Correspondências e Mediações Contemporâneas»
Sara Navarro (CIEBA – Centro de Investigação e de Estudos em Belas-Artes da Universidade de Lisboa)
«Cem Traças – um projecto de ilustração científica e divulgação da colecção Entomológica do Museu Nacional de História Natural e da Ciência»
Filipe Lopes (Museu Nacional de História Natural e da Ciência)
«Músico-Química: divulgação da Química e introdução à prática científica com alunos pré-universitários»
Hugo Vieira (Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP))

Biblioteca
// EDUCAÇÃO NÃO FORMAL
Moderação: Joana Lobo Antunes (Instituto de Tecnologia Química e Biológica, Universidade Nova de Lisboa)
«Programa “Há Ciência em Lisboa!” – Aproximar os cidadãos da ciência, aproximando-os da sua cidade»

Cristina Luís (Museu Nacional de História Natural e da Ciência – Universidade de Lisboa, CIUHCT – Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa – CIES-IUL)
«A fermentar, do centro de convívio para o laboratório»
Margarida Vieira (Biocant – Centro de Ciência Júnior)
«Boundary Breach: viagens, recordações e o mundo das invasões»
Sofia da Silva Oliveira (Universidade do Porto)
«Um Céu Açoriano” | Ou como a Astronomia pode conservar a beleza natural local»
Flávio Almeida (Observatório Astronómico de Santana – Açores)
«Escolas e Paisagens de Vila do Bispo – Valorizar no Presente um Passado com Futuro»
Beatriz Tomás Oliveira (Faculdade de Ciências e Tecnologias- Universidade do Algarve)
«Projeto SOPHIA: uma plataforma de literacia sobre o mar»
Aida Silva (Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM))
«Dia de Darwin em Portugal — a visão do NEDE-APBE»
Rita Ponce (cE3c – Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais)
«O ecoturismo como veículo de informação para a conservação do lobo ibérico na Beira Interior»
Clara Espírito-Santo (Grupo Lobo)
«AMEC nas empresas: experimentar ciência em contexto empresarial»
Marina Maciel (Escola de Ciências da Universidade do Minho)
«Conceções das crianças sobre árvores monumentais, antes e depois de atividades hands-on»
Sofia Quaresma (Muncípio de Alcobaça)

Auditório
// MUSEUS E CENTROS DE CIÊNCIA
Moderação: Carlota Simões (Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra)
«As florestas e a química como motes para atividades de divulgação científica»

Ivone Fachada (Centro Ciência Viva de Bragança)
«DO PASSADO PARA O FUTURO: Um Centro Ciência Viva do futuro num edifício do passado»
Paulo Pereira (Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães)
«EXPLORASTÓRIAS – Pequenas histórias para grandes explorações»
Catarina Schreck Reis (Exploratório – Centro Ciência Viva de Coimbra)
«Galeria Mineira Waldemar – Uma viagem no espaço e no tempo»
Álvaro Pinto (Associação Centro Ciência Viva do Lousal)
«O impacto do Centro de Ciência Viva de Lagos como dinamizador de Atividades de Enriquecimento Curricular de Ciências Experimentais»
Luís Azevedo Rodrigues (Centro Ciência Viva de Lagos)
«Um laboratório comum- Dois Centros em Rede»
Rita Borges (Centro Ciência Viva de Tavira)
«A técnica de PMM na avaliação da exposição “Era uma vez… Ciência para quem gosta de histórias”»
Alexandra Nobre (STOL-Science Through Our Lives – Uminho)
«Alterações Climáticas: provocar novos caminhos de comunicação – o papel dos museus e centros de ciência da Península Ibérica»
Natália Melo (CIBIO – Universidade de Évora)
«À descoberta da Ria Formosa com o Ciência Viva no Verão em Rede»
Ana Luísa Santos (Centro Ciência Viva do Algarve)
«Taking hands-on science to schools»
Fernanda Bessa (Centro Ciência Viva de Sintra)

13h-14h30
Almoço

14h30-16h
COMUNICAÇÕES ORAIS 1
(ler abstracts)

Biblioteca
// EDUCAÇÃO NÃO FORMAL
Moderação: Luís Azevedo Rodrigues (Centro Ciência Viva de Lagos)
«Tornar as colecções museológicas históricas acessíveis a públicos com deficiência visual»

Rita Campos (CIBIO/InBIO)
«Ciência Experimental com Públicos Incomuns»
Clara Costa Oliveira (Instituto de Educação, STOL- Science Through Our Lives, CBMA-Centro de Biologia Molecular e  Ambiental, Universidade do Minho)
«Onda da Nazaré: um estímulo para a aprendizagem»
Mafalda Carapuço (Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa)
«Nutriciência – novas dinâmicas de ‘gamificação’ para responder a velhos desafios»
Paulo J. Fontes (Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto)
«Bike a Planet: Educando através de um videojogo saudável»
Pedro Garcia (Observatório Astronómico de Santana – Açores)

Auditório
// FORA DA CAIXA | ABORDAGENS ORIGINAIS
Moderação: Joana Barros (Associação Viver a Ciência)
«Árvores Monumentais: caminhar para o bem-estar” – uma forma divertida de aprender ciência através de um roteiro botânico»
Raquel Pires Lopes (Universidade de Aveiro)
«Drama na (Comunicação da) Ciência»
João Dias (Museu Nacional de História Natural e da Ciência)
«Sciencemotionology: a 4ª dimensão da ciência»
Tiago Martins Duarte (Sciencemotionology)
«Química e literatura: surpreender públicos antigos, cativar novos públicos»
Sérgio Rodrigues (Departamento de Química, Universidade de Coimbra)
«Exposição Janelas de Luz: comunicar ciência e tecnologia das imagens 3D»
Pedro Pombo (Universidade de Aveiro – Departamento Física, Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro)

Sala dos Relógios
// 
CIÊNCIA PARA A CIDADANIA
«Comunicar saúde: como aproximar jornalistas e médicos?»

Moderação: Débora Miranda (London School of Hygiene & Tropical Medicine)
Painel: Rui Tato Marinho (Hepatologista, Faculdade de Medicina de Lisboa e Acta Médica Portuguesa): Bernardo Marques Ferreira ( Medicina Geral e Familiar); Vera Novais (jornalista, Observador)

16h-16h30
Coffee Break

16h30-17h30
SESSÃO DE PÓSTERES 2
(ler abstracts)

Auditório
// MUSEUS E CENTROS DE CIÊNCIA
Moderação: Rita Borges (Centro Ciência Viva de Tavira)
«”Lagartos, ervas daninhas, matar o sapo e fazer mezinhas!” – Conhecimentos sobre a biodiversidade da Cidade de Évora»
David Germano (CIBIO – Universidade de Évora)
«
O papel do professor no Centro Ciencia Viva de Bragança»
Rita Moreira Pires (Centro Ciência Viva de Bragança)
«Todo o Universo num Hemisfério»
Ricardo Cardoso Reis (Planetário do Porto/Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço)
«HEMISPHERIUM – Muito mais que estrelas e planetas»
Paulo Renato Trincão (Exploratório – Centro Ciência Viva de Coimbra)
«Eco-Hidro-Energy: reconstituição da Microcentral Hidroelétrica do rio Fervença»
Raquel Branquinho (Centro Ciência Viva de Bragança)
«Astronomia Experimental com público numeroso»
Filipe Dias (Centro Ciência Viva do Algarve)
«O projecto “Do saber ao sabor, uma bio-experiência romana”»
Emanuel Reis (Centro Ciência Viva do Algarve)
«Projeto MOSES: um exemplo de simbiose entre o Centro Ciência Viva de Lagos e um projeto de investigação da Universidade do Algarve»
Catarina Leote (Centro Ciência Viva de Lagos)
«Os Centros de Ciência na promoção da Investigação em Ciências do Mar»
Ana Moura (Centro Ciência Viva de Tavira)
«Projetos de Investigação com Centros de Ciência: Uma mais-valia para a disseminação»
Sofia Santos (Centro Ciência Viva de Tavira)

Biblioteca
// MEDIA
Moderação: José Vítor Malheiros (consultor)
«SCIENTIFICUS – A Ciência para todos»
António Manuel Costa (Escola Regional Dr. José Dinis da Fonseca)
«Ar Magazine: uma revista online sobre ciência»
Clara Howcroft Ferreira (Fundação Champalimaud)
«Cinco anos do programa “Ciência na Imprensa Regional – Ciência Viva”»
António Piedade (Universidade de Coimbra)
«Mulheres Cientistas em Biomedicina»
Joana Magalhães (Grupo de Reumatología, Instituto de Investigación Biomédica de A Coruña (INIBIC). CHUAC. Sergas. GBTTC-CHUAC, Centro de Investigación Biomédica en Red (CIBER-BBN))
«O Impacto da Erosão Costeira em Portugal: factos científicos num documentário de televisão»
Sofia Barata (Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro)
«“Montados com futuro”: da ciência para a sociedade»
Ana Isabel Leal (Centre for Ecology Evolution and Environmental Changes (cE3c); Centro de Ecologia Aplicada “Prof. Baeta Neves”/InBio (CEABN/InBio) – Universidade de Lisboa)
«Revista Pardela | Divulgando a ciência das aves há 21 anos»
Vanessa Oliveira (Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves)
«Laboração Contínua: comunicar Ciência através da imprensa escrita»
Regina Sousa (Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro)
«Educar para a deliberação: o uso de documentários em Educação (Bio)ética»
Luís Teixeira (Universidade Católica Portuguesa – Escola de Artes)

Sala dos Relógios
// COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL
Moderação: Cristina Palma Conceição (Instituto Universitário de Lisboa – ISCTE-IUL)
«A Instituição através de uma caderneta de cromes»
Cristina Veiga-Pires (Centro Ciência Viva do Algarve)
«Comunicação da Ciência para o Engajamento Público para o Brasil»
Aline Bastos (Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil)
«A mediação entre cientistas e jornalistas – o caso do Gabinete de Comunicação da Uminho»
Nuno Passos (Universidade do Minho)
«Impacto das atividades de comunicação de ciência para os docentes universitários: um caso de estudo?»
Cláudia Cavadas (Faculdade de Farmácia e CNC – Centro de Neurociências e Biologia Celular, Universidade de Coimbra)
«Percepções sobre Comunicação Institucional da BRU-IUL»
Andreia Garcia (Business Research Unit, ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa)
«Cérebro: Mitos, verdades e investigação sobre neurociências»
Inês Braga (CNC – Centro de Neurociências e Biologia Celular)
«A comunidade sénior e a ciência – conhecer a mente e o cérebro»
Rita Aroeira (Colégio Mente-Cérebro da Universidade de Lisboa, Instituto de Farmacologia e Neurociências, Faculdade de Medicina, Instituto de Medicina Molecular, Universidade de Lisboa)
«Gestão em Ciência e Tecnologia: as expectativas dos cientistas»
Ana Mourato (Centro de Química e Bioquímica, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa)

17h30-19h
COMUNICAÇÕES ORAIS 2
(ler abstracts)

Sala dos Relógios
// EDUCAÇÃO NÃO FORMAL
Moderação: Carlos Catalão (Ciência Viva)
«Programa Viver Astronomia – Futuros cientistas a comunicar ciência»
João Retrê (Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço)
«Investigadores juniores: uma introdução à investigação científica na Universidade do Porto»
Vítor Silva (Universidade do Porto)
«”A Ponte Entre a Escola e a Ciência Azul” – Interação Ativa Aluno – Investigador em Ambiente de Educação Não Formal»
Bernardo Mata (EMEPC – Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental)
«A robótica como ferramenta para motivar alunos para as áreas STEM»
João Carlos Pescada (Centro Ciência Viva de Tavira)
«Divulgar ciência para salvar vidas: o caso da malária»
Débora Miranda (London School of Hygiene & Tropical Medicine)

Auditório
// CIÊNCIA CIDADÃ
«Ciência Cidadã em Portugal: Contexto, Oportunidades e Desafios»
Sessão Inversa

Moderação: Cândida G. Silva (Universidade de Coimbra; Ibercivis.pt; Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Universidade de Lisboa)
Painel: 
Ana Delicado (Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa); Elizabete Marchante (Projecto “Invasoras.pt”, Centro de Ecologia Funcional, Universidade de Coimbra); Joana Marques (Projecto “Líquenes à moda do Norte”, CIBIO-UP); Patrícia Tiago (Projecto “Biodiversity4All” & ECSA);
Pedro Príncipe (Universidade do Minho (OpenAIRE)); Valentim Gomes (Universidade Sénior de Esmoriz)

Biblioteca
// FORMAÇÃO DE COMUNICADORES
«Comunicadores de ciência: Quem são e o que fazem?»
Sessão Inversa

Moderação: Manuel Valença (Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa)
Painel: Vera Novais (Observador); Tiago Carrilho (Jardim Zoológico de Lisboa); Henrique Pereira (Universidade de Coimbra); Bruno Pinto (MARE-Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa); Sílvia Firmino (Escola Secundária Vergílio Ferreira)

19h30-20h30 | Auditório
Debate Ciência Viva: «Ética nas ciências da vida»
Painel: João Lobo Antunes, António Vaz Carneiro e António Granado
Moderação: 
Catarina Ramos

21h
Jantar
Programa social: Famelabbers Portugal 2016 | Ana-Armada Moreira (Vencedora); Bernardo Peixoto (Finalista); Carolina Figueira (Finalista)

27 DE MAIO

9h30-11h
COMUNICAÇÕES ORAIS 3
(ler abstracts)

Biblioteca
// CIÊNCIA CIDADÃ
Moderação: Ana Delicado (Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa)
«Envolver a comunidade sénior em ciência cidadã: motivações, obstáculos e impacto»
António J. Monteiro (Universidade de Coimbra; Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Universidade de Lisboa; Ibercivis.pt)
«Perspectivas de um grupo de jovens sobre Melhoramento Cognitivo»
Rute Verdade (i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde, Universidade do Porto)
«Ciência, cidadania e adaptação às alterações climáticas: o caso do Projecto ClimAdaPT.Local»
Luísa Schmidt (ICS-ULisboa)
«”CriptoBlitz” and “Serralves em Flora”: Empowerment tools for  citizen scientists»
Sofia Viegas (CIBIO – InBIO, Research Centre in Biodiversity and Genetic Resources e Fundação de Serralves)

Auditório
// COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL
Moderação: Marta Entradas (DINAMIA, ISCTE-IUL & LSE)
«Comunicar (Neuro)Ciência: Da rua para o laboratório e do laboratório para a Rua»
Rita Neves (Champalimaud Neuroscience Programme – Fundação Champalimaud; FCHS – Universidade Nova de Lisboa)
«When school visits become a problem, how can scientists be the solution?»
Maria Inês Vicente (Fundação Champalimaud)
«O Mar dos pequeninos»
Marta Rufino (IPMA)
«Partículas: do bosão de Higgs à matéria escura – A exposição comemorativa dos 30 anos do LIP»
Catarina Espírito Santo (LIP)
«Não Existe Rigor (Apriorístico) em Comunicação Ciência»
Adalberto Fernandes (Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra)

Sala dos Relógios
// MEDIA | PÚBLICOS
«The use of social media for science communication in Portugal»
Sessão Inversa

Moderação: Sílvia Castro (MIT – Portugal)
Painel: Alexandre Gamela (Jardim Botânico da Universidade de Coimbra); António Granado (Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa); Joana Lobo Antunes (Instituto de Tecnologia Química e Biológica, Universidade Nova de Lisboa); Sara Sá (Revista Visão)

11h-11h30
Coffee Break

11h30-12h30
SESSÃO DE PÓSTERES 3
(ler abstracts)

Auditório
// EDUCAÇÃO NÃO FORMAL
Moderação: Luís Azevedo Rodrigues (Centro Ciência Viva de Lagos)
«A colaboração entre ciência e arte como ferramenta de comunicação: um exemplo prático na comunicação de conteúdos de evolução no pré-escolar»
Conceição Almeida (Universidade de Coimbra)
«Microscopia Química e Arte»
Gonçalo Santos (Centro de Química Estrutural,Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa)
«Innovative experimental advanced courses to engage fourth grade students in the understanding of Science»

Ana Santos-Carvalho (Instituto de Educação e Cidadania IEC)
«Será que o cidadão comum conhece o ecossistema envolvente às praias que frequenta?»
João Paulo Medeiros (MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Campus da FCUL)
«Ases da Ciência: educação não formal da ciência»
Carolina Magalhães (Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro)
«A galeria iLux 2015 e a visita do lápis azul»
Sara Martins (STOL/Universidade do Minho)
«I Feira de Ciência de Oliveira do Bairro: Ciência para os cidadãos»
Sónia Ferreira (Instituto de Educação e Cidadania)

Biblioteca
// CIÊNCIA PARA A CIDADANIA | CIÊNCIA CIDADÃ
Moderação: Maria João Leão (Maratona da Saúde)
«Envolver o público com a ciência: o ambiente como laboratório natural»
Érica Sá (MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Campus da FCUL)
«Da Universidade para a Comunidade — a Água que é de todos»
Maria Judite Almeida (Scientia.com.pt , Escola de Ciências, Universidade do Minho)
«Papoilas, narcisos e batatas: a importância de comunicar plantas tóxicas»
Natacha Catarina Perpétuo (CFE – Centro de Ecologia Funcional)
«Cidadania Científica: Preservação do Planeta Terra e Sustentabilidade»
Marta Aido (Instituto Dom Luiz, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa)
«Será que o mar come o Torrão? Quando e como? Montagem de exposição on-demand»
João Duarte (Associação CUltural Canto do Curió)
«Ensino das alterações climáticas através dos média – iniciativas do Clima@EduMedia»
José Azevedo (Projeto Clima@EduMedia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto)
«Cell Spotting: Avaliação da motivação e resultados educacionais da participação num projecto de ciência cidadã na sala de aula»
Cândida Silva (Universidade de Coimbra; ibercivis.pt)
«POSTes de Fotografia: CIÊNCIA PARTICIPATIVA PARA A GESTÃO DO LITORAL»
Luís Gonçalves (Centro Ciência Viva do Algarve)
CITAQUA – projeto local de ciência cidadã
Daniela Figueiredo (Universidade de Aveiro)

Sala dos Relógios
// CIENTISTAS
Moderação: António Gomes da Costa (Associação Rede SciCom.Pt)
«PubhD de Lisboa: Explica o teu doutoramento num bar»
Sérgio Pereira (Rede internacional de voluntários)
«PubhD UMinho – Já falou de ciência num bar?»
Daniel Ribeiro (STOL – Science Through Our Lives)
«PONTOS NOS III – SCIENCE BEER TALKS: Conversas Informais Sobre Ciência»
Liliana Gonçalves (Exploratório – Centro Ciência Viva de Coimbra)
«TIPS FOR SCIENTIFIC COMMUNICATION: ILLUSTRATION AND DESIGN»
João Tiago Tavares (GOBIUS Comunicação e Ciência)
«Os cientistas comunicam ciência?»
Vera Sequeira (MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente)
«Formação em comunicação de ciência para investigadores – importância, impacto, avaliação»
Joana Lobo Antunes (Instituto de Tecnologia Química e Biológica, Universidade Nova de Lisboa)
«Uma rede de investigadores portugueses no estrangeiro: Global Portuguese Scientists gps.pt»
David Marçal (Ciência Viva)

13h-14h30
Almoço
Assembleia Geral da Associação Rede SciCom.Pt

14h30-16h
COMUNICAÇÕES ORAIS 4
(ler abstracts)

Biblioteca
// CIÊNCIA PARA A CIDADANIA | MEDIA
Moderação: António Granado (Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa)
«Maratona da Saúde _ Sensibilizar e financiar a investigação biomédica em Portugal»
Maria João Leão (Maratona da Saúde)
«‘No news is bad news’ – problemáticas e consequências da ausência de notícias sobre matemática na imprensa»
Susana Pereira (Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências da Comunicação (CETAC-Media))
«Pode a literacia mediática contribuir para a literacia científica? Evidências a partir do projeto Clima@EduMedia»
Margarida Morais Marques (Projeto Clima@EduMedia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto)
«Problemática da Media Literacy no contexto africano»
Wlodzimierz J. Szymaniak (Universidade Jean Piaget de Cabo Verde)

Sala dos Relógios
// CIENTISTAS | EDUCAÇÃO NÃO FORMAL
Moderação: Tiago Santos Pereira (Fundação para a Ciência e a Tecnologia – FCT)
«Mobilisation for public engagement: Benchmarking the practices of research institutes»
Marta Entradas (DINAMIA, ISCTE-IUL & LSE)
«Scientists’ practices of public engagement in Portugal: a preliminary study»
Ana Godinho (Fundação para a Ciência e Tecnologia)
«Opening Scientific Meetings to the Public»
Xana Sá-Pinto (Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDTFF), Universidade de Aveiro; Escola Superior de Educação, Instituto Politécnico do Porto (ESE.IPP))
«SELEÇÃO SUB30: a nova geração de investigadores vai à escola!»
Aurora Moreira (Exploratório – Centro Ciência Viva de Coimbra)

Auditório
// FORMAÇÃO DE COMUNICADORES
«Quando comunicadores e cientistas se querem ensinar uns aos outros»
Sessão Inversa

Moderador: Vera Novais (jornal Observador)
Painel:
 Ana Mena (Instituto Gulbenkian de Ciência); Marta Santos (Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa); Sara Amaral (Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra)

16h-16h30
Coffee Break

16h30-17h30 | Auditório
Keynote Speaker
«Science communication has gone global»
Brian Trench (Presidente, Public Communication of Science and Technology – PCST Committee)

17h30-18h | Auditório
Sessão de encerramento

18h-19h30
Beer for Science

A ciência não é só dos cientistas

Submissão de propostas

  • Prazo para Submissão de propostas: 29 fevereiro 2016  6 de Março
  • Comunicação dos Resultados: a partir de 1 abril 2016

Tipos de propostas aceites

  1. Propostas para sessões completas, contendo um tópico, oradores/formadores e um moderador.

A proposta deverá ter já a concordância dos oradores e do moderador (em princípio, esta é a pessoa que apresenta a proposta). Caso a sessão seja escolhida para ser apresentada no congresso, serão pedidos resumos sintéticos da contribuição de cada um dos oradores (duas ou três frases).

Estas sessões podem ter os seguintes formatos:

  1. Painel: sessão “normal” com três a quatro oradores (máximo) em que cada um faz uma apresentação de 15-20 10 minutos; a sessão termina com 30 minutos para perguntas /respostas.
  2. Sessões práticas: sessão interativa em que o tema é rapidamente apresentado pelos oradores ou moderador e os participantes trabalham depois esse tema em grupos moderados pelos “oradores” da sessão. Este tipo de sessão pode ser proposto com um número reduzido de “oradores”, por exemplo, pode ser um moderador + um ou dois “formadores”.
  3. Sessão Inversa: uma sessão com um painel de vários oradores (até um máximo de 6), mas em que os oradores só falam inicialmente 5 minutos (rigorosamente cronometrados) e em que é aberta a discussão com a plateia assim que acaba a primeira “ronda” de intervenções.
  1. Propostas para comunicações orais

Podem ter vários autores, mas devem indicar um único orador. As propostas aceites serão agrupadas em sessões completas pela Comissão Científica. Prevê-se que cada sessão tenha entre 4 e 5 oradores. Cada apresentação terá 10 minutos. No final das apresentações a discussão é aberta ao público.

  1. Propostas para poster

Podem ter vários autores, mas devem indicar um único apresentador para cada poster. Os pósteres serão agrupados em sessões pela Comissão Científica e o apresentador de cada poster terá um máximo de 4 minutos para fazer a apresentação. No final da sessão haverá meia hora para debate com o público.

 Palavras-chave

Cada proposta deverá indicar um mínimo de uma e um máximo de duas palavras-chave, pelo que estas devem ser judiciosamente escolhidas:

Arte e Ciência: a interação entre a ciência e as artes (desenho, filme, música, escultura, teatro…) na comunicação de ciência.

Ciência cidadã: projetos de ciência em que o cidadão contribui ativamente para projetos concretos de investigação.

Ciência para a cidadania: atividades e projetos para o desenvolvimento da cidadania científica, nomeadamente os que promovem o debate público e o envolvimento informado dos cidadãos em assuntos e decisões políticas que envolvam questões de índole científica (por exemplo, sobre o ambiente, saúde pública, etc.)

Cientistas: o papel dos comunicadores de ciência na capacitação dos cientistas para a promoção e a divulgação de ciência. O papel dos cientistas enquanto comunicadores.

Comunicação Institucional: projetos de comunicação em ciência de instituições de investigação. NÃO serão aceites projetos que tenham apenas componentes de apoio curricular ao ensino em ambientes de educação formais (escolas).

Educação não formal: projetos educativos inovadores em ciência e tecnologia que têm lugar fora do ambiente escolar e fora do currículo escolar. NÃO serão aceites trabalhos sobre projetos educativos escolares, a não ser que estes incluam claramente uma componente real de envolvimento dos alunos em conjunto com outros atores, em questões de interesse social geral (exemplo: projetos de defesa ambiental ou de saúde pública em que a escola intervém na comunidade local)

Formação de comunicadores: ações inovadoras de formação de comunicadores em ciência e tecnologia

Media: o papel dos media, incluindo os novos media, na comunicação de ciência.

Museus e centros de ciência: atividades de comunicação de ciência específicas de espaços de cariz museológico (museus, centros de ciência, zoos, planetários, aquários…).

Públicos: como envolver em questões científicas e chegar eficientemente a públicos específicos, não escolares.

NB1: Cada participante pode submeter várias propostas, assegurando no entanto que cada apresentação selecionada é efetuada por diferentes elementos da equipa, desde que co-autores da proposta. 

NB2: A Comissão Científica poderá, se assim entender, propor a fusão de várias propostas submetidas pela mesma equipa e/ou a alteração do formato da apresentação (oral ou poster).

NB3: As propostas que consistam na descrição simples de projetos ou atividades deverão ser submetidas para poster. Para comunicações orais, recomenda-se forte componente de apreciação, reflexão e avaliação de conceitos, práticas e ideias.

Existem custos associados à inscrição no congresso?
A inscrição tem o custo de 50 euros para não sócios da Associação de Comunicação de Ciência SciComPt. Os associados com as quotas em dia apenas pagam um valor adicional à quota de 20 euros.

Qual a duração prevista para as apresentações das comunicações aceites para o congresso?
As sessões completas não deverão ter uma duração superior a 1h30. Cada comunicação oral não deverá exceder os 10 minutos. Cada apresentação de poster não poderá exceder os 4 minutos.

A minha proposta foi aceite para apresentação em poster. Quais as especificações do mesmo?
O poster não será exposto em versão física, mas sim projetado em formato digital durante o Congresso. O poster deve ter apenas um dispositivo, em formato de PDF, com um tamanho máximo de 5MB. A orientação dever ser horizontal, num formato 16:9, para facilitar a projecção e a visualização durante a apresentação.

Não estou inscrito no Congresso. Posso assistir a uma sessão?
Não. O Congresso SciComPt 2016 é exclusivo para participantes com a inscrição regularizada.

Que tipo de propostas aceita o congresso para submissão?
As propostas de trabalhos podem apresentar-se em três categorias: propostas para sessões completas, contendo um tópico, oradores/formadores e um moderador; propostas para comunicações orais e propostas para póster. Em todos os casos, as propostas devem indicar um mínimo de uma e um máximo de duas palavras-chave, pelo que estas devem ser judiciosamente escolhidas: Arte e Ciência, Ciência cidadã, Ciência para a cidadania, Cientistas, Comunicação Institucional, Educação não formal, Formação de comunicadores, Media, Museus e centros de ciência, Públicos.
As propostas que consistam na descrição simples de projetos ou atividades deverão ser submetidas para póster.
Para comunicações orais, recomenda-se uma forte componente de apreciação, reflexão e avaliação de conceitos, práticas e ideias. | Mais informação

Qual o limite de palavras do abstract das propostas?
O abstract não deve ultrapassar os 2500 caracteres (incluindo espaços).

Com quantos trabalhos posso concorrer?
Cada participante pode submeter várias propostas. No entanto, cada apresentação selecionada deve ser efetuada por diferentes elementos da equipa, desde que co-autores da proposta.
A Comissão Científica pode, se assim entender, propor a fusão de várias propostas submetidas pela mesma equipa e/ou a alteração do formato da apresentação (oral ou poster).

É bem-vinda a participação de cidadãos de outras nacionalidades? Quais as línguas oficiais do Congresso?
A participação de cidadãos de outros países é bem-vinda. As línguas de trabalho do congresso são o português e, facultativamente, o inglês.

Continua com dúvidas? Envie-nos as suas questões para o email: info[at]scicom[ponto]p

Local
Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva

Alameda dos Oceanos, Lote 2.10.01
1990-223 Lisboa

Apoios:

marca_CV-ANCCT_versao_beta_PANTONE-fundo_branco 2015_FCT_V_color

cp_logo

De comboio:

30desconto_ic_r_ir_cp-1Os inscritos no Congresso SciComPt 2016 beneficiam de um desconto de 30% no serviços Intercidades, em ambas as classes e no serviço Interregional e Regional da CP. Para comprar o bilhete com desconto, é necessário apresentar uma declaração de participação emitida pelo Congresso SciCom.Pt.
Os inscritos podem pedir a sua declaração através do email: info[at]scicom[ponto].pt

Condições:

// 30% de desconto nos serviços Intercidades, em ambas as classes e no serviço Interregional e Regional. Viagens com origem em qualquer estação e destino Lisboa Oriente (viagem de Ida)
// Emissão de bilhetes de ida e volta obrigatoriamente
// Este desconto não é cumulativo com outros existentes, nomeadamente o de ida e volta
// A prova de direito ao desconto é realizada no ato da compra nas bilheteiras CP e a bordo do comboio junto do ORV, mediante apresentação do bilhete SciCom.pt.
// Apenas disponível em bilheteiras CP e a bordo do comboio, apenas quando na estação de embarque as bilheteiras CP não estiverem de serviço.
// Válido de 25 a 28 de Maio 2016
// Os bilhetes emitidos ao abrigo desta parceria são reembolsáveis, de acordo com as condições para esta operação.
// Os bilhetes emitidos ao abrigo desta parceria são revalidáveis, dentro do período acima referido, de acordo com as condições para esta operação.
// Fora deste período, haverá cobrança da diferença para bilhete inteiro ou desconto a que tenha direito, ficando sem efeito o desconto ao abrigo da parceria.

O livro de pósteres do SciComPt 2016 pode ser consultado aqui.